reconhecimento_facil_e_lgpd_Indicca

Reconhecimento Facial e LGPD

Atualizado em 15/06/2021
Por Pedro Henriques

Reconhecimento Facial e LGPD

Atualizado em 15/06/2021
Por Pedro Henriques
Junte-se a milhares de pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Reconhecimento Facial e a LGPD com a privacidade dos usuários. Um dilema que o mundo moderno transforma em debate e reflexão para o nosso futuro.

LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados

A tecnologia passou a ser possível com o avanço da internet, dos equipamentos e das qualidades das câmeras. Entretanto do debate passou a ser do quanto está tecnologia é invasiva a privacidade das pessoas.

Reconhecimento facial se torna disponível com o avanço da tecnologia.

Vale considerar que a qualidade deste serviço foi, voluntariamente, auxiliada pelas atitudes das pessoas, usuários da internet. De fato o teste de envelhecimento da face, que praticamente o mundo inteiro participou em escala apoiou e fez a tecnologia aprender.

A precisão foi aprendida pela tecnologia com ação voluntária dos usuários

Por um lado, o reconhecimento facial será um apelo de segurança pública. Desta forma um robô, com capacidade de escala, poderá facilitar a entrada ou não de pessoas a lugares. Em outras palavras o acesso em metrôs, estádios, ambientes públicos e ou privados podem estar preparados. Em outras palavras o acesso será fácil, sem tickets ou cartões, liberação por reconhecimento facial.

Desta forma vale a reflexão do quanto estamos sendo vigiados? O quanto somos voluntários neste processo? Ainda mais o quanto estamos conscientes desta invasão?

Nesse sentido acabamos de viver, com o propósito da Saúde Pública, o estado de São Paulo, utilizando da tecnologia do GPS, para monitorar as aglomerações. Ou seja, por conta da prevenção ao Covid 19 medidas estão sendo tomadas para o bem da comunidade. Em contra partida a privacidade do usuário parece menos relevante nestas questões do coletivo.

Fica então a reflexão do quanto o individuo tem mais direito que o coletivo? Se em prol da saúde pública se pode ou não ser invasivo a privacidade do usuário. Por analogia podemos com toda certeza usar do reconhecimento facial para questões de segurança pública.

Uma boa questão de debate e de entendimento do quanto estamos sendo vigiados, eu, você e todos nós. Quando estaremos monitorados e tendo a gestão do acesso liberado por robôs que conhecem até as nossas mudanças com o tempo.

Que tenhamos um bom debate, uma vez que querendo ou não estaremos influenciados por está tecnologia.

Pedro Henriques Guimarães Filho

INDICCA.COM Tecnologia a favor das empresas e dos usuários.

Pedro Henriques, aqui no Blog.
Empreendedor da área de tecnologia de segurança da informação. Atendo empresa de pequeno, médio e grande porte.

O que você achou deste conteúdo?
Conte nos comentários sua opinião sobre: Reconhecimento Facial e LGPD.


0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Conheça nossas soluções nas áreas de segurança, rede de computadores e comunicação.
Share This